A reencarnação, Doutrina Espírita

Evidências bíblicas sobre a reencarnação

2 253

Várias passagens bíblicas sugerem a idéia da reencarnação.

Jesus não nos disse tudo

Embora Jesus não tenha se manifestado de forma clara e direta sobre todas as questões da vida espiritual, Ele mesmo asseverou que não nos pronunciara tudo sobre o Reino de Deus. Ele disse que deixou de mencionar “muitas coisas”, o que nos faz concluir que omitiu a maior parte de seus ensinos, ministrando apenas aquilo que seus discípulos podiam compreender.

João 16,12: “12 Ainda tenho muitas coisas para dizer, mas agora vocês não seriam capazes de suportar.”


Jesus e a reencarnação de Elias

Numa passagem até certo ponto clara, Jesus nos faz entender que João Batista é a reencarnação de Elias.

Mateus 17, 10-13:

10 “E os seus discípulos o interrogaram, dizendo: Por que dizem então os escribas que é mister que Elias venha primeiro”?

11 “E Jesus, respondendo, disse-lhes: Em verdade Elias virá primeiro, e restaurará todas as coisas”;

12 “Mas digo-vos que Elias já veio, e não o conheceram, mas fizeram-lhe tudo o que quiseram. Assim, farão eles também padecer o Filho do Homem”.

13 “Então entenderam os discípulos que lhes falara de João Batista”.

A referida profecia é de Malaquias (Malaquias 3,1) constante do Velho Testamento. Vejamo-la a seguir:

Malaquias 3,1:

“1 Vejam! Estou mandando o meu mensageiro para preparar o caminho à minha frente. De repente, vai chegar ao seu Templo o Senhor que vocês procuram, o mensageiro da Aliança que vocês desejam. Olhem! Ele vem! – diz Javé dos exércitos.”


Os Apóstolos demonstram crer na pluralidade das existências

Mateus 16,13-14; e Lucas 9,19:

“13 Jesus chegou à região de Cesaréia de Filipe, e perguntou aos seus discípulos: Quem dizem os homens que é o Filho do Homem?”

14 Eles responderam: “Alguns dizem que é João Batista; outros, que é Elias; outros ainda, que é Jeremias, ou algum dos profetas”.

Fica evidente que a maioria do povo daquela época, acreditava numa vida posterior à morte do corpo físico. Sendo que o Cristo, possuía o seu próprio invólucro, a ressurreição pelo envoltório corporal, não seria possível. Como o Aramaico, o qual era o idioma que o Mestre Nazareno se comunicava, tinha grandes limitações no seu vocabulário, afirmamos: tendo tudo isto em vista, podemos concluir com total convicção, que na passagem bíblica acima, os discípulos do Amado Rabi, referiam-se à reencarnação e não a qualquer outra coisa.

A dúvida de Herodes quanto a quem realmente era Jesus

Marcos 6,14-16 e Lucas 9,7-9:

“14 O rei Herodes ouviu falar de Jesus, cujo nome tinha-se tornado famoso. Alguns diziam: João Batista ressuscitou dos mortos. É por isso que os poderes agem nesse homem.

15 Outros diziam: É Elias. Outros diziam ainda: É um profeta como os profetas antigos.

16 Ouvindo essas coisas, Herodes disse: Ele é João Batista. Eu mandei cortar a cabeça dele, mas ele ressuscitou!”

Mais uma vez, a Bíblia mostra-nos, mesmo que veladamente, o porque da convicção que os Espíritas têm nas vidas sucessivas.

O diálogo de Jesus com Nicodemos

João 3,1-12:

“Ora, entre os fariseus, havia um homem chamado Nicodemos, senador dos judeus – que veio à noite ter com Jesus e lhe disse: “Mestre, sabemos que vieste da parte de Deus para nos instruir como um doutor, porquanto ninguém poderia fazer os milagres que fazes, se Deus não estivesse com ele. Jesus lhe respondeu: “Em verdade, em verdade, digo-te: Ninguém pode ver o reino de Deus se não nascer de novo.” Disse-lhe Nicodemos: “Como pode nascer um homem já velho? Pode tornar a entrar no ventre de sua mãe, para nascer segunda vez?” Retorquiu-lhe Jesus: “Em verdade, em verdade, digo-te: Se um homem não renasce da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus. – O que é nascido da carne é carne e o que é nascido do Espírito é Espírito. – Não te admires de que eu te haja dito ser preciso que nasças de novo. – O Espírito sopra onde quer e ouves a sua voz, mas não sabes donde vem ele, nem para onde vai; o mesmo se dá com todo homem que é nascido do Espírito.” Respondeu-lhe Nicodemos: “Como pode isso fazer-se?” – Jesus lhe observou: “Pois quê! és mestre em Israel e ignoras estas coisas? Digo-te em verdade, em verdade, que não dizemos senão o que sabemos e que não damos testemunho, senão do que temos visto. Entretanto, não aceitas o nosso testemunho. – Mas, se não me credes, quando vos falo das coisas da Terra, como me crereis, quando vos fale das coisas do céu?”.

É certo, que somente o Espírito nasce de novo.

Disse-nos Jesus:

João 3,6: “O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito.”

O corpo físico é apenas uma vestimenta do espírito, não possuindo os mesmos atributos deste.

Se fosse errônea a crença da reencarnação, Jesus não houvera deixado de a combater, como combateu tantas outras. Longe disso, ele a sanciona com toda a sua autoridade e a põe por princípio e como condição necessária, quando diz: “Ninguém pode ver o reino de Deus se não nascer de novo.” E insiste, acrescentando: “Não te admires de que eu te haja dito ser preciso nasças de novo”.

Estas palavras: “Se um homem não renasce da água e do Espírito”, foram interpretadas no sentido da regeneração pela água do batismo. O texto primitivo, porém, rezava simplesmente: “não renasce da água e do Espírito”, ao passo que nalgumas traduções as palavras “do Espírito” foram substituídas pelas seguintes: “do Santo Espírito”, o que já não corresponde ao mesmo pensamento. Esse ponto capital ressalta dos primeiros comentários a que os Evangelhos deram lugar, como se comprovará um dia, sem equívoco possível.”

Quando diz “O que é nascido da carne é carne e o que é nascido do Espírito é Espírito” Jesus estabelece uma distinção positiva entre o Espírito e o corpo. ”O que é nascido da carne é carne indica claramente que só o corpo procede do corpo e que o Espírito independe deste”.

Nesta outra frase: “O Espírito sopra onde quer; ouves-lhe a voz, mas não sabes nem donde ele vem, nem para onde vai” pode-se entender que se trata do Espírito de Deus, que dá vida a quem ele quer, ou da alma do homem. Nesta última acepção – “não sabes donde ele vem, nem para onde vai” – significa que ninguém sabe o que foi, nem o que será o Espírito. Se o Espírito, ou alma, fosse criado ao mesmo tempo que o corpo, saber-se-ia donde ele veio, pois que se lhe conheceria o começo. Como quer que seja, essa passagem consagra o princípio da preexistência da alma e, por conseguinte, o da pluralidade das existências.”

Fonte: texto editado pela equipe Um Caminho extraído do site www.apologiaespirita.org

About the author / 

Editor

2 Comments

  1. fabio 10 de outubro de 2017 at 10:41 - 

    E como está escrito em Hb 9:27 que ao homem está ordenado morrer uma só vez, vindo depois disto o juízo?!?!?!? Será que a Bíblia está enganada? mentindo?

  2. Glaucos Otoni 5 de junho de 2010 at 21:44 - 

    Por mais que se queira negar a teoria reencarnacionista ela realmente parece já ser admitida a milênios, mas grande parte da população não quer se aprofundar em conhecê-la.

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

× 6 = 42

RECEBA TEXTOS POR E-MAIL

Institucional

Todos os Temas

Ajude-nos a divulgar nosso trabalho