• A reencarnação, Doutrina Espírita

    Astrologia e reencarnação

    A Tradição afirma, desde sempre: Astra inclinant, sed non cogunt, isto é: “Os astros influem, mas não obrigam.” Assim, segundo Tomás de Aquino: “Tudo o que existe na superfície deste mundo sublunar está sujeito à influência dos astros – mas o sábio domina os astros.” E Edgar Cayce, inteiramente de acordo com essa óptica, nos diz, textualmente: “A mais forte influência exercida sobre o destino do homem é, em primeiro lugar, a do Sol, depois a dos planetas mais próximos da Terra, ou então dos que são ascendentes na hora do nascimento. Mas é preciso entender aqui que nenhuma ação, de qualquer planeta, nem as fases do Sol, da Lua ou de qualquer corpo celeste é mais forte do que a vontade do homem.”

  • A reencarnação, Doutrina Espírita

    Pluralidade das existências

    Sob que forma se desenvolve a vida imortal, e o que é na realidade a vida da alma? Para responder a essas questões, é preciso retornar à sua fonte e examinar no seu conjunto o problema das existências. Uma cadeia ascendente e contínua parece religar todas as criações, do mineral ao vegetal, do vegetal ao animal e desse ao homem. E o sentimento de justiça absoluta nos diz que o animal, tanto quanto o homem, não deve viver e sofrer para nada.

  • A reencarnação, Doutrina Espírita

    Evidências bíblicas sobre a reencarnação

    “Ora, entre os fariseus, havia um homem chamado Nicodemos, senador dos judeus – que veio à noite ter com Jesus e lhe disse: “Mestre, sabemos que vieste da parte de Deus para nos instruir como um doutor, porquanto ninguém poderia fazer os milagres que fazes, se Deus não estivesse com ele. Jesus lhe respondeu: “Em verdade, em verdade, digo-te: Ninguém pode ver o reino de Deus se não nascer de novo.” Disse-lhe Nicodemos: “Como pode nascer um homem já velho? Pode tornar a entrar no ventre de sua mãe, para nascer segunda vez?” Retorquiu-lhe Jesus…”

  • A reencarnação, Doutrina Espírita

    Homossexualidade como prova ou expiação

    O homem que abusou das faculdades genésicas, arruinando a existência de outras pessoas com a destruição de uniões construtivas e lares diversos, em muitos casos é induzido a buscar nova posição, no renascimento físico, em corpo morfologicamente feminino, aprendendo, em regime de prisão, a reajustar os próprios sentimentos, e a mulher que agiu de igual modo é impulsionada à reencarnação em corpo morfologicamente masculino, com idênticos fins.

  • A reencarnação, Doutrina Espírita

    Laços de família

    A sucessão das existências corporais estabelece entre os Espíritos laços que remontam às existências anteriores. Daí muitas vezes decorre as causas de simpatia entre alguns Espíritos que se parecem estranhos. Embora os Espíritos não procedam uns dos outros, têm afeição aos que lhe estão ligados pelos laços de família, porque esses Espíritos são freqüentemente atraídos a esta ou àquela família em razão de simpatias ou ligações anteriores.

  • A reencarnação, Doutrina Espírita

    Ideias inatas

    O Espírito encarnado conserva algum traço das percepções que teve e dos conhecimentos que adquiriu nas existências anteriores? A teoria das idéias inatas não é quimérica? Deve então haver uma grande conexão entre duas existências sucessivas? Qual é a origem das faculdades extraordinárias dos indivíduos que, sem estudo prévio, parecem ter a intuição de certos conhecimentos, como as línguas, o cálculo etc.?

RECEBA NOVOS TEXTOS POR E-MAIL

Quinzenalmente, enviamos um e-mail com os novos textos do site. Participe!

Ajude a divulgar Um Caminho

Temas das Publicações