• Doutrina Espírita, Princípios espíritas

    O Livro dos Espíritos

    A razão nos diz que um efeito inteligente deve ter como causa uma força inteligente. E os fatos provaram que essa força pode entrar em comunicação com os homens, através de sinais materiais. Desta maneira é que foi revelado “O Livro dos Espíritos”, organizado por Allan Kardec, escrito por ordem e sob ditado dos Espíritos superiores para estabelecer os fundamentos de uma filosofia racional. Nada contém que não seja a expressão do pensamento dos Bons Espíritos.

  • Amadurecimento, Reforma Íntima

    Consciência de nossos erros

    Quem se conscientiza do processo das leis divinas entende a dor, e encontra seu valor de contribuição para o engrandecimento da própria existência. Todas as experiências (positivas ou negativas) nos ensinam algo; basta estarmos dispostos a aprender. Nossas escolhas podem nos livrar, ou não, do cárcere da escravidão emocional. Quando despertamos espiritualmente, passamos a entender a dor por outro prisma.

  • Ciência e Religião, Curas Espirituais

    Tratamento médico e tratamento espiritual

    Os espíritas esclarecidos reconhecem o valor do tratamento médico, assim como sabem que os Espíritos Superiores dispõem de recursos muito mais refinados para o tratamento das doenças do ser humano. Por isso mesmo, não cultivam qualquer preconceito contra os tratamentos médicos conduzidos com critério, muito menos contra tratamentos espirituais sérios. Sabem que um tipo de tratamento complementa o outro, não havendo, portanto, incompatibilidade entre eles…

  • Autores Diversos, Histórias

    Deus é tremendo!

    Passava do meio dia, o cheiro de pão quente invadia aquela rua, um Sol escaldante convidava a todos para um refresco… Ricardinho não agüentou o cheiro bom do pão e falou: Pai, tô com fome!!! O pai, Agenor, sem ter um tostão no bolso, caminhando desde muito cedo em busca de um trabalho, olha com os olhos marejados para o filho e pede mais um pouco de paciência…

  • Confúcio, Líderes Espirituais

    Quem foi Confúcio?

    Dizem, também, que Confúcio tinha um grande senso de humor e, ao contrário de muitos mestres, não se importava em ser corrigido pelos discípulos. Ele foi também um dos primeiros humanistas de que se tem notícia. Reconhecia o livre arbítrio dos indivíduos e ensinava: “o comandante do maior exército pode ser removido, mas a vontade da pessoa mais simples não pode ser modificada’: Ele sustentava que a natureza das pessoas é semelhante, mas as experiências da vida as tornam diferentes umas das outras. “Essa característica pessoal devia ser identificada e respeitada”, ensinava o mestre.

  • Perseverança, Reforma Íntima

    Ninguém progride sem renovar-se

    Na estrada cristã, somos defrontados sempre por grande número de irmãos que se aquietaram à sombra da improdutividade, declarando-se acidentados por desastres espirituais. Porém, ninguém progride sem renovar-se. Paulo de Tarso, que conhecera terríveis aspectos do combate humano, na intimidade do próprio coração, e que subiu às culminâncias do apostolado com o Cristo, nos oferece roteiro seguro ao aprimoramento: “Esqueçamos todas as expressões inferiores do dia de ontem e avancemos para os dias iluminados que nos esperam”.

RECEBA TEXTOS POR E-MAIL

Institucional

Todos os Temas

Ajude-nos a divulgar nosso trabalho