• A Morte, Aos que Sofrem

    Separação da alma e do corpo

    O corpo ou a alma sente alguma dor no momento da morte? Como se opera a separação da alma e do corpo? A separação se opera instantaneamente e por uma transição brusca? Há uma linha de demarcação nitidamente traçada entre a vida e a morte? A separação definitiva da alma do corpo pode ocorrer antes da completa cessação da vida orgânica? No momento da morte, a alma tem, às vezes, um desejo ou um êxtase que lhe faz entrever o mundo em que vai entrar?

  • Deus, Fé e Religiosidade

    Nas culminâncias da luta

    Caminhar sem Jesus, nos domínios humanos, é sentir que a água não sedenta, o alimento não sacia, a melodia não eleva, a página não edifica, a flor não perfuma, a luz não aquece… Entretanto, amparados no Cristo, todos somos auto-suficientes, porquanto dispomos de apoio, esclarecimento e fortaleza em qualquer transe aflitivo com que a vida nos surpreenda.

  • Reforma Íntima, Renovando atitudes

    A novidade maior

    O mundo progride, embora com lentidão. Inegavelmente o progresso é a lei. Entretanto, forçoso convir que, com leves modificações, aquilo que vemos agora é o que já vimos. A lua que afagava a cabeça de Sócrates não sofreu diferenças. O mar que Tibério fitava das alturas de Capri oferece atualmente o mesmo espetáculo de imponência e beleza. A maior novidade para nós, então, ainda e sempre é a nossa possibilidade imediata de manejar a própria vontade e melhorar a vida, melhorando a nós mesmos.

  • Calma, Reforma Íntima

    Suportemos com paciência tudo que acontece em nossa existência

    A capacidade de persistir numa atividade com paciência e perseverança é um dos atributos da Natureza. Precisamos aprender a realizar tarefas numa silenciosa quietude, pois a impetuosidade e a afobação que muitas vezes demonstramos podem destruir em minutos o que levamos anos para construir. Suportemos com calma, tudo que acontece em nossa existência. No entanto, não devemos confundir paciência com passividade, estagnação, ociosidade ou paralisação.

  • Doutrina Espírita, Laços de família

    Vínculos familiares

    Os laços de família formados em bases de fidelidade, amor, respeito e dedicação perdurarão pela Eternidade e serão cada vez mais fortalecidos. Os espíritos simpáticos envolvidos nessas uniões usufruem indizível felicidade por estar juntos trabalhando para o seu progresso espiritual. Quanto às pessoas unidas pelo único móvel do interesse, elas não estão realmente em nada unidas uma à outra: a morte as separa sobre a Terra e no Céu.

  • Deus, Fé e Religiosidade

    Os materialistas e os vários tipos de incrédulos

    Ao lado da classe dos materialistas propriamente ditos, há uma terceira classe de incrédulos que, embora espiritualistas, pelo menos de nome, são tão refratários quanto aqueles. Referimo-nos aos incrédulos de má-vontade. A esses muito aborreceria o terem que crer, porque isso lhes perturbaria a quietude nos gozos materiais. Temem deparar com a condenação de suas ambições, de seu egoísmo e das vaidades humanas com que se deliciam. Fecham os olhos para não ver e tapam os ouvidos para não ouvir. Apenas por não deixar de mencioná-la, falaremos de uma quarta categoria, a que chamaremos…

  • Caridade, Dar ao próximo

    Possuímos o que damos

    Não te esqueças de que és mordomo da vida em que te encontras. Serás ajudado pelo Céu, conforme estiveres ajudando na Terra. Cede ao próximo algo mais que o dinheiro de que possas dispor. Dá também teu interesse afetivo, tua saúde, tua alegria e teu tempo e entrarás na posse dos sublimes dons do amor, do equilíbrio, da felicidade e da paz, hoje e amanhã, neste mundo e na vida eterna.

Temas das Publicações