Doutrina Espírita, Dúvidas dos leitores

Dúvidas dos leitores – qual a minha missão na Terra?

2 908

Dúvida:

Sou um espírita iniciante, um ex-dependente químico em tratamento e queria descobrir uma dúvida que surgiu em uma conversa com uma psicóloga quando falei de uma passagem de minha vida. Disse a ela que desde os meus 5 a 6 anos de idade já tinha vontade de fumar cigarro, ser fora da lei… Minha vida porém foi muito certa até a adolescência. Após isso me despertou essa vontade mesmo. Mas na vida em que vivi sempre tentei ajudar as pessoas e sempre fui protegido pelos espíritos do bem. Tive várias passagens onde poderia tem ocorrido o pior e parecia que eu era avisado para não ir ou fazer. Fui a uma clinica de recuperação e estou aqui procurando entender qual é minha missão na terra. Se puderes me dar uma luz para isso ficaria grato.

 

Resposta:

Caro irmão, a sua missão na Terra não é diferente das demais pessoas. Você já deve ter escutado alguma vez na vida a seguinte frase: “todos fomos criados à imagem e semelhança do Criador”. E também esta frase de Jesus: “Vós sois Deuses”.

Isso mesmo: todos nós fomos criados, em espírito, com uma centelha divina em nós. Todos nós temos uma parte de Deus em nossa alma.

Confirmando essas verdades, a Doutrina dos Espíritos acrescenta que todos os espíritos são criados simples e ignorantes. E complementa: todos fomos criados para progredir tendo como meta nos reaproximarmos do Criador. Por isso, todo ser humano tem um sentimento natural de procurar o contato com Deus, que é uma parte de si. Por isso existem as religiões (os diversos caminhos de se chegar ao Pai) e a religiosidade (o processo de buscar Deus independente da religião praticada).

Religião é uma expressão que vem do latim “religare” que significa “religar-se”. Mas, religar-se a que? Religar-se ao Criador. Ou seja, através da religiosidade nos religamos ao Pai. Nos reaproximamos dele.

Na Terra, temos diversos movimentos religiosos e, por isso, Deus tem alguns nomes diferentes para diferentes povos, como Javé (israelenses), Allah (muçulmanos), Ganesha (Indianos), Shangdi (Chineses), Xinto (Japoneses)…

O Espiritismo nos mostra que cada ser humano está em um estágio de sua escalada evolutiva. Uns mais adiantados na direção da reaproximação com o Pai. Outros no meio do caminho e outros tantos ainda no início da caminhada. Por isso, temos tantas religiões diferentes. Cada uma atende a um padrão mental e todas têm a sua utilidade e ajudam o ser humano a crescer. Assim devemos aprender a respeitar todas as religiões e termos a consciência de que mesmo não atendendo ao nosso grau de raciocínio e fé, isso não significa que não possa ajudar a outras pessoas.

Entretanto, apesar da diversidade de religiões, não poderíamos ter um modelo a seguir que fosse extremamente diferente para cada grupo da humanidade. Senão, teríamos vários caminhos levando a vários lugares diferentes. E não é isso que Deus, nosso Pai, deseja para cada um de nós, seus filhos.

Os caminhos são diversos… Mas todos levam a humanidade em algum momento invariavelmente para o mesmo lugar: a perfeição moral.

Imagine um grande rio que deságua no mar. Em suas margens ele recebe águas de diversos outros riachos afluentes. Neste grande rio principal existe a parte mais próxima do mar (final) e o leito do rio (início). Alguns rios afluentes “entregam” a água ainda próxima ao leito do rio principal, enquanto outros mais ou menos no meio e outros já perto do final, próximo ao mar.

Esses riachos são como as diversas religiões. Todos os riachos levam a água em direção ao rio principal. O rio principal representa o caminho único que leva ao mar. O rio principal representa o código de conduta moral da humanidade. E o mar simboliza Deus.

Por esta analogia podemos compreender o seguinte: os diversos riachos representam as diversas religiões e cada um deles coloca o homem mais ou menos adiantado em relação ao código de conduta moral da humanidade. Quanto mais longe do mar, mais distante da reaproximação com Deus.

Mas e este código de conduta moral? Onde ele está? Como entendê-lo? Como estudá-lo? Como praticá-lo?

A Doutrina Espírita nos conta que este código está contido nos ensinamentos de Jesus, que é o modelo e guia espiritual de nossa humanidade terrestre.

Jesus é o governador espiritual do nosso planeta. Por isso, Ele nos disse em uma de suas passagens: “Eu sou o caminho, a verdade, a vida. Ninguém chega ao Pai se não for por mim”.

O grande desafio então está na interpretação das mensagens de Jesus. Como Ele viveu numa época em que não podia ser muito explícito em relação à vida após a morte – a vida espiritual – falou ao povo sob a forma de parábolas, que são formas figurativas de se transmitir idéias. De certa forma, isso fez com que se disseminasse no próprio seio do Cristianismo uma diversidade grande também de interpretações diferentes de Suas mensagens.

A Doutrina dos Espíritos nos traz a mensagem do Cristo Jesus na obra de Allan Kardec chamada “O Evangelho segundo o Espiritismo”. Lá está demonstrado todo o código de conduta moral que a humanidade deve seguir para cumprir sua missão. E o ensinamento central é muito simples, embora extremamente difícil de ser vivenciado: “Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo”.

Esperamos que com essa explicação você possa entender melhor a missão de todos nós que fazemos parte da humanidade terrestre e o caminho único que temos ao nosso alcance para atingirmos a perfeição moral que é a meta de todos nós.

É preciso aprender também que o que nos aproxima ou nos distancia desta meta são as nossas ESCOLHAS.

Quanto mais elas estiverem próximas do ensinamento central que o Mestre Jesus nos transmitiu, mais rápido progrediremos e cumpriremos nossa missão na Terra. Quanto menos, mais tempo levaremos batendo cabeça e tomando algumas pauladas da vida, que assim procede para nos alertar sobre nossas escolhas indevidas…

Agora, outro ponto importante para se compreender é que a vida verdadeira é a vida do espírito. E o espírito de cada um de nós tem uma idade muito superior a idade atual que temos na Terra. O espírito alterna períodos encarnados com períodos desencarnados. Sobre isso recomendamos a leitura do seguinte capítulo do Livro dos Espíritos, que trata sobre a reencarnação. Após a leitura deste capítulo poderemos falar também sobre sua missão nesta sua atual existência.

Por favor, reflita sobre essa orientação que lhe passamos e retorne quando quiser com novas questões. Teremos grande satisfação em ajudá-lo.

 

Fraternalmente,

Equipe Um Caminho

 

Compartilhe
  • 2
    Shares

About the author / 

Editor

2 Comments

  1. Editor 17 de junho de 2012 at 22:52 - 

    Em Um Caminho não tratamos deste tipo de assunto. Fraternalmente.

  2. Laura Bento 16 de junho de 2012 at 8:29 - 

    quer saber se vou ter paz muito amor, saude e dinheiro e saber ser vou ser FELIZ com a pessoa que tenho atculmente?

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

− 1 = 4

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

RECEBA NOVOS TEXTOS POR E-MAIL

Quinzenalmente, enviamos um e-mail com os novos textos do site. Participe!

Temas das Publicações