Amadurecimento, Reforma Íntima

O tempo certo de cada um

1 382

Na vida, não existe antecipação nem adiantamento, somente o tempo propício de cada um.

A Humanidade, em geral, recebe as sementes do crescimento espiritual a todo o instante. Constantemente, a “Organização Divina” emite idéias de progresso e desenvolvimento, devendo cada indivíduo absorver a sementeira de acordo com suas possibilidades e habilidades existenciais.

Cada ser tem seu próprio “marco individual” nas estradas da vida, e não nos é permitido violentar sua maneira de entender, comparando-o com outros, ou forçando-o com nossa impaciência para que “cresçam” e “evoluam”, como nós acharíamos que deveria ser.

Cada um de nós possui diferenças exteriores, tanto no aspecto físico como na forma de se vestir, de sorrir, de falar, de olhar ou de se expressar. Por que então haveríamos de florescer “a toque de caixa”?

Nossa ansiedade não faz com que as árvores dêem frutos instantâneos, nem faz com que as roseiras floresçam mais céleres. Respeitemos, pois, as possibilidades e as limitações de cada indivíduo.

Nossas bases psicológicas foram recolhidas nas experiências do ontem. São raízes do passado que nos dão manutenção no presente para ir adiante, nos processos de iluminação interior. Quando os “caules” não são suficientemente profundos e vetustos, há bloqueio tanto em nossa consciência intelectual como na emocional. Um mecanismo opera de forma a assimilar somente o que se pode digerir daquela informação ou ensinamento recebido.

Assim, a disponibilidade de perceber a realidade das coisas funciona nas bases do “potencial” e da “viabilidade evolutiva” e, portanto, impor às pessoas que “sejam sensíveis” ou que “progridam”, além desrespeito à individualidade, é fator perigoso e destrutivo para exterminar qualquer tipo de relacionamento.

A boa absorção ou abertura de consciência acontece somente no momento em que não nos prendemos na forma. Aprofundarmo-nos no conteúdo real quer dizer: “Quem não quebra a noz, só lhe vê a casca”. Mas para quebrar a noz é preciso senso e noção, base e atributos que requerem tempo para se desenvolverem convenientemente. A consciência da criatura, para que seja receptiva, precisa estar munida de “despertamento natural” e “amadurecimento psicológico”.

O Mestre aceitava plenamente a diversidade humana. Ele se opunha a todo e qualquer “nivelamento psicológico” e, portanto, lançou a Parábola do Semeador, a fim de que entendêssemos que o melhor apoio que prestaríamos a nossos companheiros de jornada seria simplesmente esperar em silêncio e com paciência.

Portanto, compreendamos que a nós, somente, compete “semear”; sem esquecer, porém, que o crescimento e a fartura na colheita dependem da “chuva da determinação humana” e do “solo generoso” da psique do ser, onde houve a semeadura.

 

Fonte: extraído do livro “Renovando Atitudes”, de Francisco do Espírito Santo Neto, pelo espírito Hammed. Editora Boa Nova.

 

Compartilhe

About the author / 

Editor

1 Comment

  1. DANIELE 9 de fevereiro de 2012 at 13:58 - 

    MEU ESPOSO FALECEU AOS 29 ANOS ME DEIXANDO COM 2 FILHOS,VAI FAZER 1 ANO Q ISSO ACONTECEU.I AMOS COMPLETAR 9 ANOS DE CASADOS EM JANEIRO DESSE ANO,SINTO MUITA FALTA DELE,FUI ALGUMAS VEZES EM UM CENTRO ESPIRITA E ELES ME DISSERAM QUE ELE ESTAVA NO PERÍODO DE ACEITAÇÃO,QUE ESTAVA DIFÍCIL PRA ELE ACEITAR.GOSTARIA DE SABER SE TEM ALGUMA FORMAR DE EU TER ALGUM CONTATO COM ELE.POR FAVOR ME AJUDEM.

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

5 × = 45

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Receba Novos Conteúdos

Temas das Publicações