A Lei do Carma e a Reencarnação

O elo entre as várias existências físicas é regido, de forma inflexível, pela lei do carma ou, em sentido mais genérico, da ação e reação.

O carma é a lei da harmonia universal, que determina a ação retificadora para o reajustamento adequado daquele que tentou desviar-se do grande plano cósmico.

A ação do carma é sempre positiva, embora, às vezes, seja necessário recorrer aos mecanismos da dor e do sofrimento a fim de despertar o indivíduo para a retomada do equilíbrio.

Essa dor, que algumas vezes poderá se traduzir em enfermidades, só cessará quando o espírito estiver reajustado aos ditames sublimes da Lei Cósmica.

É bom esclarecer, àqueles que procuram as intervenções dos companheiros domiciliados no Mundo Maior, quanto às suas necessidades de reajuste moral a fim de que cesse a força coerciva da Lei.

Nos casos em que a Suprema Lei estiver interferindo para o benefício do indivíduo, a dor será o processo de reajuste necessário e, nem mesmo a interferência de amigos espirituais, poderá eximir os meus irmãos de passarem pelo processo natural, embora, muitas vezes, o comportamento, as vibrações elevadas e a transformação íntima real, poderão amenizar o andamento da ação cármica quando, esses mesmos irmãos da Vida Maior, poderão interceder ante os Imortais que coordenam os nossos destinos, a fim de amenizar a prova, mas nunca poderão interferir diretamente, pois que a Lei já o faz, reajustando a parte afetada que nesse caso é o homem, com o corretivo abençoado do sofrimento, para despertá-lo à necessidade de retomar o caminho do amor, única forma de se redimir perante a Suprema Lei.

O cuidado que se deve ter com as promessas de curas de enfermidades é, sobretudo, ampliado, quando se considera a ação benéfica do carma, pois mesmo tendo-se uma visão ampla da problemática dos meus irmãos, os desencarnados responsáveis jamais prometem curas ou resoluções de problemas, pois a ação das inteligências extras-físicas que estão a serviço do Cristo, não se submete aos caprichos humanos e, mesmo detendo recursos que possam desafiar os atuais progressos da ciência terrena, as interferências serão consideradas à luz das conquistas e merecimentos de cada um, ou da necessidade ante os impositivos da Lei.

Na visão cósmica que nos proporciona o Espiritismo ao nos esclarecer quanto às leis do carma e dos renascimentos, podemos apreciar que a dor, as dificuldades, o lar difícil, o patrão complicado ou o filho problema, são recursos medicamentosos necessários àqueles que ainda precisam das dificuldades diárias, como doses homeopáticas, para que não resvalem para os precipícios das realizações inferiores. A Lei que tudo governa jamais erra no remédio empregado, embora esse mesmo medicamento se manifeste amargo ao paladar. É a reação referente ao nosso passado que emerge de nossa intimidade reclamando o reajuste.

 

Fonte: extraído do livro “Medicina da Alma”, de Robson Pinheiro Santos, pelo espírito Joseph Gleber. Casa dos Espíritos Editora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>