• Aos que Sofrem, Auto-perdão

    O amor cobre uma multidão de pecados

    Sofrer por sofrer não significa crescimento e evolução, visto que a única função da dor em nossa existência é despertar-nos para o amor. Quaisquer que sejam os fatos ou situações que vivenciamos, são eles recados da vida para nosso crescimento interior. Não devemos culpar o mundo ou as pessoas, nem mesmo nos justificar inventando desculpas para nossas dores. Os fatos e acontecimentos por si sós não nos criam felicidade ou desprazer. A questão está na nossa forma de ver ou no modo que reagimos a eles. Perante a amargura devemos indagar:
    – Que mensagem oculta a vida está me enviando através da dor?
    – Quais são os atos ou atitudes que me levam a esses acontecimentos negativos?
    – Como transformar esses fardos em crescimento interior?

  • Deus, Justiça Divina

    Direitos naturais

    O apóstolo João afirma no Novo Testamento que: “se o nosso coração não nos acusa, temos confiança diante de Deus; e tudo o que lhe pedimos recebemos dele”. Não podemos falar de forma efetiva em “justiça do coração” sem levarmos em conta a sinceridade e a intenção com que envolvemos nossos comportamentos. O “sentimento de justiça” existente no coração consiste no respeito aos nossos direitos e no respeito aos direitos de cada um. Quem não sabe proteger seus direitos quase sempre extrapola os limites dos outros. Quando devo utilizar meus limites? Sempre que me sentir invadido; sempre que minhas fronteiras pessoais forem ignoradas ou desprezadas por alguém. Limites e bons relacionamentos andam de mãos dadas. Vejamos alguns dos direitos naturais de todo o ser humano:

  • Reforma Íntima, Renovando atitudes

    Cultiva a paz

    Todos rogam a paz no Planeta atormentado de horríveis discórdias, mas raros se fazem dignos dela. Exigem que a tranquilidade resida no mesmo apartamento onde mora o ódio gratuito aos vizinhos. Reclamam que a esperança tome assento com a inconformação. E rogam à fé lhes aprove a ociosidade, no campo da necessária preparação espiritual. Ninguém atinge o bem-estar em Cristo, sem esforço no bem, sem disciplina elevada de sentimentos, sem iluminação do raciocínio. Para que um homem seja filho da paz, é imprescindível trabalhe intensamente no mundo íntimo, cessando as vozes da inadaptação à Vontade Divina e evitando as manifestações de desarmonia, perante as leis eternas.

Temas das Publicações