Aos que Sofrem, Dores da Alma

O porquê das dores

0 223

“Em nossos apontamentos, denominamos os “sete pecados capitais”, como as “dores da alma”. São eles: o orgulho, a preguiça, a raiva, a inveja, a gula, a luxúria e a avareza. Na atualidade, graças ao valioso concurso das doutrinas psíquicas, de modo geral, e da psicologia espírita, especificamente, esses “pecados” são considerados mais como desajustes, neuroses ou desequilíbrios íntimos. Em verdade, os “pecadores” precisam mais de auto-análise, reparação e tratamento, do que de condenação, repressão ou castigo.

Quem tem hoje um mínimo de clareza íntima, procura discernir esses processos psicológicos em desalinho da psique humana e não levá-los a um sacerdote par que os absolva; ou, simplesmente, apontá-los como faltas ou erros provocados pela ação dos espíritos infelizes, sem assumir nenhuma responsabilidade.

(…) A dor emocional, diferentemente da lesão material, implica uma angústia no corpo todo, porém, a impressão física parece real. As “dores da alma” provocam um aperto no peito, uma dificuldade de respirar, uma sensação de que o coração vai se partir. “Enquanto eu chorava, doía muito mesmo no fundo do coração”, assim muitos se expressam diante dos pesares e aflições da vida. As pessoas, entretanto, tendem a condenar e punir, olvidando-se de que todos somos alunos, não malfeitores, na escola da vida; que as “dores da alma” são as educadoras ou instrutoras particulares que a Harmonia da Vida nos concedeu, para vencermos bloqueios e obstáculos íntimos”. (…)

Fonte: extraído do livro “As dores da alma”, ditado pelo espírito Hammed, através do médium Francisco do Espírito Santo Neto, Editora Boa Nova.

Clique aqui para ler o livro em formato PDF.

Assista a entrevista com Francisco do Espírito Santo Neto sobre este tema:

Compartilhe
  • 1
    Share

About the author / 

Editor

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

× 2 = 2

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Receba novos conteúdos

Temas das Publicações