• Anjos da Guarda, Doutrina Espírita

    A missão do nosso anjo da guarda

    Aos que pensassem que é impossível a Espíritos verdadeiramente elevados se restringirem a uma tarefa tão laboriosa e de todos os instantes, diremos que influenciamos as vossas almas, embora estando a milhões de léguas de distância: para nós o espaço não existe, e mesmo vivendo em outro mundo os nossos Espíritos, conservam sua ligação convosco. Gozamos de faculdades que não podeis compreender, mas estais certos de que Deus não vos impôs uma tarefa acima de vossas forças, nem vos abandonou sozinhos sobre a Terra, sem amigos e sem amparo. – Santo Agostinho

  • Aflição, Aos que Sofrem

    Nos momentos de aflição

    É inegável que em vosso aprendizado terrestre atravessareis dias de inverno ríspido. Quando surgir um dia assim em vossos horizontes, compelindo-vos à inquietação e à amargura, certo não vos será proibido chorar. Entretanto, é necessário não esquecerdes a divina companhia do Senhor Jesus. É nas aflições, que Ele te convida a tomar-lhe a sublime companhia e prosseguir avante com a sua serenidade e seu bom ânimo.

  • Reforma Íntima, Renovando atitudes

    O que representa o Mestre Jesus em nossa vida?

    Que fazem os homens do Mestre Divino, no campo das lições diárias? Os ociosos tentam convertê-lo em oráculo que lhes satisfaça as aspirações de menor esforço. Os vaidosos procuram transformá-lo em galeria de exibição, através da qual façam mostruário permanente de personalismo inferior. Poucos imitam Simão Pedro que, após a iluminação no Pentecostes, segue-o sem condições até a morte. Não basta fazer do Cristo Jesus o benfeitor que cura e protege. É indispensável transformá-lo em padrão permanente da vida, por exemplo e modelo de cada dia.

  • Doutrina Espírita, Livre-arbítrio

    Como se dá o livre-arbítrio?

    Ante o conhecimento antecipado que Deus tem de todas as coisas, pode-se verdadeiramente afirmar a liberdade humana? Questão aparentemente complexa e árdua, que fez com que se gastassem litros de tinta e cuja solução é, entretanto, das mais simples. Mas o homem não gosta das coisas simples. Prefere o obscuro, o complicado, e só aceita a verdade depois de ter esgotado todas as formas de erro.

  • Deus, Fé e Religiosidade

    Separativismo religioso

    Toda escola religiosa apresenta valores inconfundíveis ao homem de boa vontade. Porém, é muito grande o número de orientadores religiosos que se deixam dominar pelo sentimento exclusivista, que adia, indefinidamente, as mais sublimes edificações do bem. Querem todos que Deus lhes pertença, mas não cogitam de pertencer a Deus e esquecem que na Casa do Pai a única diferença entre homens é a que se mede pelo esforço nobre de cada um.

Temas das Publicações