Anjos da Guarda, Doutrina Espírita

Anjos Guardiões e Espíritos Protetores

5 963

Todos nós temos um Bom Espírito, ligado a nós desde o nascimento, que nos tomou sob a sua proteção. Cumpre junto a nós a missão de um pai junto ao filho: a de nos conduzir no caminho do bem e do progresso, através das provas da vida. Ele se sente feliz quando correspondemos à sua solicitude, e sofre quando nos vês sucumbir. Seu nome pouco importa, pois que ele pode não ter nenhum nome conhecido na Terra. Invocamo-lo, então, como o nosso Anjo Guardião, o nosso Bom Gênio. Podemos mesmo invocá-lo com o nome de um Espírito Superior, pelo qual sintamos uma simpatia especial.

Além do nosso Anjo guardião, que é sempre um Espírito Superior, temos os Espíritos Protetores, que, por serem menos elevados, não são menos bons e generosos. São Espíritos de parentes ou amigos, e algumas vezes de pessoas que nem sequer conhecemos na atual existência. Eles nos ajudam com os seus conselhos, e frequentemente com a sua intervenção nos acontecimentos de nossa vida. Os Espíritos simpáticos são os que se ligam a nós por alguma semelhança de gostos e tendências. Podem ser bons ou maus, segundo a natureza das inclinações que os atraem para nós. Os Espíritos sedutores esforçam-se para nos desviar do caminho do bem, sugerindo-nos maus pensamentos. Aproveitam-se de todas as nossas fraquezas, como de outras tantas portas abertas, que lhes dão acesso à nossa alma. Há os que se agarram a nós como a uma presa, mas afastam-se quando reconhecem a sua impotência para lutar contra a nossa vontade.

Deus nos deu um guia principal e superior em nosso Anjo Guardião, e como guias secundários os nossos Espíritos Protetores e Familiares. É um erro, entretanto, supor que tenhamos forçosamente um mau gênio junto a nós, para contrabalançar as boas influências daqueles. Os maus Espíritos nos procuram voluntariamente, desde que achem possível dominar-nos, em razão da nossa fraqueza ou da nossa negligência em seguir as aspirações dos Bons Espíritos, e somos nós, portanto, que os atraímos. Disso resulta que não somos nunca privados da assistência dos Bons Espíritos, e que depende de nós o afastamento dos maus. Pelas suas imperfeições, sendo ele mesmo a causa dos sofrimentos que o atingem, o homem é quase sempre o seu próprio mau gênio. (Cap. V, nº 4). A prece aos Anjos Guardiães e aos Espíritos Protetores deve ter por fim solicitar a sua intervenção junto a Deus, pedir-lhes a força de que necessitamos para resistir às más sugestões, e a sua assistência para enfrentarmos as necessidades da vida.

 

Fonte: texto extraído do Livro “O Evangelho Segundo o Espiritismo”, de Allan Kardec.

Compartilhe
  • 7
    Shares

About the author / 

Editor

5 Comments

  1. adriana silva 18 de dezembro de 2013 at 16:23 - 

    mentores espirituais merecem respeito eles fazem parte da nossa vida. amai vos uns aos outros ; um feliz Natal e um pró´spero ano novo d mt paz saude e que saibamos compreender o q nossos anjos querem nos inspirar.

  2. José Geraldo Campos Magalhães 17 de dezembro de 2013 at 19:05 - 

    Não queiramos para os outros aquilo que não queremos para nós.
    Amar a Deus sobre todas as coisas e ao Próximo como a ti mesmo; são as palavras do Mestre . Devemos sempre estar atentos e colocar em prática.
    Feliz natal a todos. Saúde e Paz .

  3. lilian 12 de dezembro de 2013 at 9:36 - 

    paz de espirito sempre e necessario atraves da doutrina a carga fica mais leve

  4. leticia 27 de novembro de 2013 at 20:06 - 

    amemonos ums aos outros.

  5. leticia 27 de novembro de 2013 at 20:04 - 

    que Deus abençoe a todos,sem distinçao de crença.

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

37 − 36 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Receba Novos Conteúdos

Temas das Publicações