Paixões humanas, Pensamentos

Formas-pensamento

0 331

Considerando que toda e qualquer ação e todo e qualquer pensamento fica registrado na memória do espírito, pode-se caracterizar as formas-pensamento como concretizações de pensamentos, ou seja, ideias que se tornam realidade.

Por exemplo, se uma pessoa sente inveja de um colega de trabalho por ser ele mais solicitado e admirado, a inveja do primeiro “cria” uma forma-pensamento própria do sentimento.

A forma-pensamento pode se depositar no objeto ou ao indivíduo invejado, no caso do exemplo do colega de trabalho, causando-lhe prejuízos psíquicos e até físicos.

No caso de se invejar a casa de um amigo, por exemplo, um indivíduo manda, inconscientemente, formas-pensamento negativas para lá, gerando diversos males ao ambiente e consequentemente às pessoas.

Está aí a explicação do famoso “mau-olhado.”

Porém, as formas-pensamento não se resumem apenas a sentimentos baixos.

Podem ser também originadas de sentimentos bons, de amor, admiração.

Por exemplo, uma mãe ama profundamente e incondicionalmente seus filhos. Ao assistir ao progresso dos mesmos se enche de alegria e envia formas-pensamento benéficas para eles.

Também fatos e acontecimentos podem gerar formas-pensamento, como no caso de uma guerra em que muito sangue foi derramado e muitos espíritos sofreram atrozmente e pereceram.

Tudo isso pode ocasionar uma grande mancha escura na região onde a guerra se sucedeu, com grande aglomerado de formas-pensamento negativas, gerando, não só, perturbações de ordem psíquica nos moradores da região, como também desequilíbrios físicos, relacionados a natureza, em função da grande quantidade de energias negativas.

Por isso, é sempre bom pedir em nossas orações ajuda àqueles que, mesmo sem querer, exercem esse maligno prejuízo aos outros, e pedir também que nossa casa, assim como nós mesmos, possamos ser limpos pelos espíritos amigos de quaisquer formas-pensamento negativas que possam terem sido depositado.

Mais um aspecto importante para que trabalhemos nosso inconsciente tirando de lá todas as mazelas que não nos pertencem, que vieram como vibração ou energias de outras mentes.

Para isso podemos trabalhar com a Visualização, com a Regressão e com a Psicoterapia também.

Fonte: Redação do Momento Espírita, página “Discípulos de Allan Kardec”, no Facebook.

About the author / 

Editor

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

4 × 4 =

RECEBA NOVOS TEXTOS POR E-MAIL

Quinzenalmente, enviamos um e-mail com os novos textos do site. Participe!

Temas das Publicações

Ajude-nos a divulgar nosso trabalho