• Ciência e Religião, Mediunidade

    Médiuns Novatos

    A mediunidade iniciante é perturbada na medida do próprio desequilíbrio do médium novato. A partir do início dos estudos para educação mediúnica é possível notar sinais de harmonização e alívio das perturbações. A combinação da busca pela harmonia e o desenvolvimento das faculdades mediúnicas com propósitos cristãos pode de fato trazer enorme alívio para muitos indivíduos que experimentam as dores terríveis de uma mediunidade em desalinho.

  • Ciência e Religião, Mediunidade

    Qual a grande tarefa das comunicações mediúnicas?

    No intercâmbio com o mundo espiritual, é frequente a reclamação de certos estudiosos, relativamente à ausência de informações das entidades comunicantes, no que se refere às particularidades alusivas às atividades em que se movimentam. Por que isso acontece? Por que não se fazem mais explícitos os desencarnados quanto ao novo gênero de vida a que foram chamados?

  • Ciência e Religião, Mediunidade

    O que é um Médium?

    Marconi inventou o rádio. Mas ele inventou as ondas de rádio, por onde hoje os programas chegam aos seus ouvidos? Não. As ondas de rádio sempre estiveram ali. Ele apenas descobriu um meio de captá-las e transformá-las em algo acessível aos seus ouvidos. Marconi inventou um aparelho de captação. Assim também é o médium. Um “aparelho” de captação, um intermediário, para tudo que se passa numa dimensão não-física, fora e além do alcance dos sentidos comuns.

  • Ciência e Religião, Mediunidade

    Mediunidade bênção de Deus

    Mediunidade é coisa sagrada, que deve ser praticada de maneira digna e responsável, exercida com devotamento, discrição e humildade, no anonimato em benefício da humanidade. Os médiuns, não são seres privilegiados em missão na mediunidade, são sim na maioria das vezes, seres endividados e em necessárias provas e rígidas expiações a caminho da sua própria regeneração diante das Leis eternas e imutáveis que regem o destino dos seres humanos.

  • Ciência e Religião, Mediunidade

    Proposta aos que não crêem na comunicação dos espíritos

    Uma vez que os adversários do Espiritismo não acreditam na mediunidade e só aceitam apreciá-la com a ajuda das leis da ciência, solicitamos que provem, partindo da hipótese da existência e da sobrevivência da alma: 1) que o ser que pensa em nós durante a vida não pode mais pensar depois da morte; 2) que, se pensa, não deve mais pensar nos que amou; 3) que, se pensa nos que amou, não deve mais querer se comunicar com eles; 4) que, se pode estar em todos os lugares, não pode estar ao nosso lado; 5) que, se pode estar ao nosso lado, não pode comunicar-se conosco; Se isto for provado cientificamente, então poderemos dizer que sua negação tem fundamento.

RECEBA TEXTOS POR E-MAIL

Institucional

Todos os Temas

Ajude-nos a divulgar nosso trabalho