• Ajuda Divina, Prece a Deus

    Aprendendo a conversar com Deus

    Para conversar com Deus é preciso, antes de tudo, aprender a estar em silêncio. Deus nos fala, mas geralmente estamos tão preocupados em falar, falar e falar, que Ele simplesmente nos ouve. Nosso grande problema é chegar na presença de Deus para ouvir somente o que queremos. A voz do silêncio é a voz de Deus e falar com Ele é um privilégio maravilhoso acessível a todos nós.

  • Brasil e o Evangelho, Desigualdades sociais

    Uma questão de atitude

    A diferença entre os países pobres e os ricos não é a idade do país. Está em nossas mãos tornar o nosso país um lugar melhor para viver. Basta somente que acionemos os nossos esforços para colocar em prática a ética, a moral, a honestidade, o trabalho. Nós precisamos vencer o descaso e investir na educação individual, objetivando um cidadão consciente e atuante.

  • Allan Kardec, Justiça Divina

    Esquecimento das vidas passadas

    Se Deus considerou conveniente lançar um véu sobre o passado, é que isso deve ser útil. Deus nos deu, para nos melhorarmos, justamente o que necessitamos e nos é suficiente: a voz da consciência e as tendências instintivas; e nos tira o que poderia prejudicar-nos. A falta de uma lembrança precisa, que poderia ser-nos penosa e prejudicial às nossas relações sociais, permite-nos haurir novas forças nesses momentos de emancipação da alma, se soubermos aproveitá-las.

  • Deus, Justiça Divina

    Olho por olho, e o mundo acabará cego. (Gandhi)

    O Mestre Jesus nos pediu: “amai-vos uns aos outros como eu vos amei”. Quando falamos de amar nossos entes queridos esse pedido é muito fácil de atender. Já quando se trata de amarmos a quem não conhecemos, a dificuldade de seguir o conselho do Cordeiro de Deus é muito grande. Mas, torna-se quase impossível e incompreendido pela grande maioria de nós quando o Mestre nos disse: “amai os vossos inimigos”. O que queria Ele nos dizer com isso?

  • Deus, Fé e Religiosidade

    Curiosidade ou sofrimento oferecem portas à fé

    Em todos os lugares, observamos pessoas que, em seguida a grandes calamidades da sorte, correm aflitas aos templos ou aos oráculos novos, manifestando esperança no remédio das palavras. Claro que semelhante recurso pode constituir um caminho para a edificação da confiança. Mas Paulo de Tarso, em suas recomendações a Timóteo, nos mostra que esta nem sempre é a providência ideal.

  • Deus, Fé e Religiosidade

    Afinal, que possuímos que não devemos a Deus?

    Sempre que nos virmos inclinados a envaidecer-nos por alguma coisa, recordemos que nos achamos inelutavelmente ligados à Vida de Deus que, em benefício de nossa própria vida, ainda hoje tudo pode rearticular, refundir, refazer ou modificar. A própria vida de que dispomos se reveste de tanta grandeza e de tanta complexidade, que só a loucura ou a ignorância não reconhecem a divina Sabedoria em seus fundamentos. Para consideração disso, basta que o homem…

  • Deus, Fé e Religiosidade

    Na apreciação de muita gente, os que oram não deveriam conhecer a dor

    A situação do aprendiz de Jesus é, todavia, muito diversa. Os títulos do Cristo não são os da inatividade, com isenção de responsabilidade e esforço. Todos os chamados ao trabalho evangélico não podem esquecer as necessidades do serviço. Simão Pedro sintetiza o trabalho dos cristãos de maneira magistral. Sois chamados para isto – assevera o apóstolo. A afirmativa simples indica que os discípulos leais foram convocados a sofrer pelo bem.

RECEBA TEXTOS POR E-MAIL

Institucional

Todos os Temas

Ajude-nos a divulgar nosso trabalho