• Despreendimento, Reforma Íntima

    Por que sofremos tanto com a perda de nossas “posses” materiais?

    Cada conquista terrestre deveria ser aproveitada pela alma, como força de elevação. Fazendo, assim, o homem compreenderia melhor que só possui verdadeiramente aquilo que se encontra dentro dele, no conteúdo espiritual de sua vida. No entanto, entorpecidos pelo prazer transitório da matéria, muitos transformam o apego às propriedades em fontes de inquietações e tristeza, quando delas precisam abrir mão durante as reviravoltas da vida. Por que isso acontece?

  • Despreendimento, Reforma Íntima

    Desprendimento dos bens terrenos

    O Senhor não ordena que atiremos fora o que possuímos para nos tornarmos mendigos voluntários, porque então nos transformaríamos numa carga para a sociedade. Agir dessa maneira seria compreender mal os desprendimentos dos bens terrenos. O grande problema é o apego excessivo à matéria, um dos mais fortes entraves ao adiantamento moral e espiritual. Em virtude do insaciável desejo de aquisição, o homem destrói suas faculdades afetivas, inebriando-se com as coisas que o dinheiro pode comprar.

  • Despreendimento, Reforma Íntima

    A Cortina do “Eu”

    A antiga lenda de Narciso permanece viva, em nossos mínimos gestos, em maior ou menor porção. Em tudo e em toda parte, apaixonamo-nos pela nossa própria imagem. Nas obras do bem a que nos devotamos, estimamos, acima de tudo, os métodos e processos que se exteriorizam do nosso modo de ser e de entender, porquanto, se o serviço evolui ou se aperfeiçoa, refletindo o pensamento de outras personalidades acima da nossa, operamos, quase sem perceber, a diminuição do nosso interesse para com os trabalhos iniciados. Aceitamos a colaboração alheia, mas sentimos dificuldade para oferecer o concurso que nos compete.

  • Despreendimento, Reforma Íntima

    O Espiritismo é excelente, nós espíritas, nem tanto

    Existe uma tendência à auto-suficiência entre os depositários do conhecimento espírita. A pior das ilusões é a que temos em relação a nós: a auto-ilusão. Na matriz das ilusões encontramos carências, desejos, culpas, traumas, frustrações e todo um conjunto de inclinações e tendências que formam o subjetivo campo das emoções humanas. O objetivo da reencarnação consiste em desiludir-nos sobre nós mesmos através da criação de uma relação libertadora com o mundo material. Como vencer nossas ilusões?

  • Despreendimento, Reforma Íntima

    Desapego defensivo e desapego saudável

    Não adianta “fecharmos as cortinas da janela da alma” a fim de levarmos uma vida de sonhos – repleta de pensamentos e vazia de experiências – atenuando ou impedindo os estímulos externos. Isso é um “desapego defensivo”, ou resignação neurótica, e não uma virtude genuína. É considerada pelos Espíritos Superiores como “duplo egoísmo” a atitude de certos “homens que vivem na reclusão absoluta para fugir ao contato do mundo”.

Temas das Publicações