• Caridade, Esperança

    Semeadores da Esperança

    Precisamos hoje e em toda a parte dos criadores de harmonia doméstica e social, dos desenhistas de pensamentos certos, dos escultores de boas obras. Provavelmente estamos na atualidade em estágio obscuro de lições, sob a atuação imperiosa de ações passadas. Mas não nos será correto esquecer que somos Inteligências com raciocínio claro e que, se antigamente nos foi possível colocar em ação as causas que neste momento e neste local nos infelicitam, retemos conosco a sublime faculdade de idear, planejar e construir. Ajamos na construtividade de Jesus, sejamos semeadores de esperança.

  • Ciência e Religião, Mediunidade

    Em torno da Mediunidade

    Ser médium não é simplesmente fazer-se veículo de fenômenos que transcendem a alheia compreensão. Acima de tudo, é indispensável entendamos na faculdade mediúnica a possibilidade de servir, compreendendo-se que semelhante faculdade é característica de todas as criaturas. Ampara aos teus semelhantes e encontrarás a melhor fórmula para o seguro desenvolvimento psíquico. Não aguardes o toque de inteligências estranhas à tua, para que te transformes no canal da alegria e da fraternidade, a benefício dos outros e de ti mesmo.

  • Aos que Sofrem, Desespero

    À Frente do Desespero

    Dias há nos quais tens a impressão de que mesmo a luz do sol parece débil. Nessas ocasiões, tudo corre mal. Gritas interiormente por paz e sentes indescritível necessidade de repouso. Tudo são testemunhos necessários à fortaleza espiritual, indispensável à fixação dos valores transcendentes. Não fora isso, porém, todas essas abençoadas oportunidades de resgate, e a vida calma amolentaria o teu caráter, conspirando contra a paz porvindoura, por adiar o instante em que ela se instalaria no teu imo.

  • A Morte, Aos que Sofrem

    Partidas e Chegadas (A Dor da Saudade e a Certeza do Reencontro)

    Assim é a morte. Quando o veleiro parte, levando a preciosa carga de um amor que nos foi caro, e o vemos sumir na linha que separa o visível do invisível dizemos: “já se foi”. Terá sumido? Evaporado? Não, certamente. Apenas o perdemos de vista. O ser que amamos continua o mesmo. Sua capacidade mental não se perdeu. Suas conquistas seguem intactas, da mesma forma que quando estava ao nosso lado.

Temas das Publicações