Auto-conhecimento, Reforma Íntima

É possível realizar sua reforma íntima sem sofrimento?

0 277

Sim, porque há algumas exigências que você deve observar, mas isso também não quer dizer que você terá que mudar tudo, começar tudo de novo.

Afinal, estamos falando de reforma, não de construção.

Não se trata de começar do zero, mas de aproveitar a base construída por você através de inúmeras reencarnações.

Sobre esta base são efetuados alguns ajustes.

Saem algumas partes, outras são acrescentadas.

Talvez nada seja tão imprescindível para a reforma íntima quanto o gosto de aprender, a aceitação de que somos aprendizes, que estamos aqui para aprender e que o aprendizado se oferece para nós todos os dias.

Basta aceitá-lo, observá-lo e apreendê-lo.

É preciso ter coragem para mudar conceitos, para se dar conta de que algumas opiniões que juntamos pelo caminho simplesmente não têm mais serventia, e devem ser abandonadas.

Dessa disposição para aprender surge a descoberta de que o principal foco de aprendizado é você mesmo.

Você deve se conhecer.

Você deve conhecer a si mesmo mais do que a qualquer coisa.

Você é um universo a ser explorado.

Suas emoções e sentimentos oferecem um riquíssimo e fascinante campo de pesquisa.

Também aqui é preciso ser corajoso.

Corajoso para enfrentar os aspectos mais sombrios de si mesmo.

Enfrentar por meio de uma fria e detida observação, análise e avaliação, mas sem julgamento, sem condenação.

Se você conseguir conhecer e compreender melhor a si mesmo, provavelmente mudará uma série de hábitos.

Sem muito esforço, sem sofrimento, pois você irá notar que muitos de seus costumes e pontos de vista atuais não são verdadeiramente seus.

Foram adotados por você em algum momento, ou por desconhecimento de algo melhor, ou por imitação de alguém que você admirava, ou como exigência da sociedade.

Você automatizou um monte de comportamentos que não têm nada a ver com você, com o que você realmente quer, com o que você realmente acredita.

Você não se tornará um modelo de perfeição se conseguir realizar isso.

Vai continuar sendo humano.

Com algum esforço, ficará dez por cento melhor do que é hoje.

Você acha pouco?

Esses dez por cento são suficientes pra fazer a diferença.

Num concurso público, a diferença entre um classificado e um desclassificado é muito, muito menor que isso.

E essa diferença decide uma carreira e tudo o que ela acarreta.

Você não irá se livrar dos erros que já cometeu e provavelmente cometerá outros erros.

Perdoe-se!

Você precisa se perdoar pelos erros cometidos.

Isso lhe dará mais coragem e humildade para lidar com os erros que ainda estão por vir.

Aceite-se, ame-se.

Permita-se começar de novo.

A maneira mais eficaz de evitar erros e promover acertos é estar sempre ligado, sempre comprometido consigo mesmo.

Sempre alerta, vigiando, controlando e orientando seus pensamentos. Você lembra que tudo começa pelo pensamento?

Sei que não preciso dizer, mas é bom reforçar.

Tudo o que existe nasceu de um pensamento. Tudo!

Todos os ideais, toda a tecnologia, todo o progresso material, tudo é pensamento colocado em prática.

Tenha bons pensamentos, reeduque sua mente, ensine sua mente a pensar.

Adquira o hábito de orar, com ou sem palavras.

É a maneira que temos de nos conectarmos com o que há de mais elevado.

Não é preciso dizer, também, que só oração não basta.

É preciso trabalho, muito trabalho.

Fazer de cada dia um dia produtivo, de cada hora uma hora útil.

Se for útil a mais alguém além de você, melhor ainda.

Um cuidado que devemos ter é não querer que todos mudem conosco, que todos sigam nosso exemplo.

Você sabe, cada um tem o seu tempo.

Por isso é necessário ser tolerante e gostar de si mesmo.

Acho que nada é mais urgente do que amar a si mesmo.

Aceitar que erramos, que nossa trajetória contém erros e acertos.

Valorize sua história.

Respeite sua história evolutiva.

Mesmo seus maiores erros pareceram a melhor alternativa, quando você os cometeu.

Fonte: Livro “Reforma Íntima sem martírio”, psicografado por Wanderley Soares de Oliveira, pelo Espírito Ermance Dufaux.

About the author / 

Editor

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

4 × 3 =

RECEBA TEXTOS POR E-MAIL

Institucional

Todos os Temas

Ajude-nos a divulgar nosso trabalho