Educação dos Filhos, O Bem e o Mal

A delinquência

0 148

Quando se fala em delinquência, muitos pais sofrem só em pensar no que esse termo representa.

Alguns de nós pensamos e repensamos em como pode uma criança, dócil e amável durante a infância, tornar-se um delinquente mais tarde.

Nós não nos damos conta, mas somos, enquanto educadores, os maiores responsáveis pela delinquência que vige no mundo.

O Departamento de Polícia de Houston, Texas, elaborou uma lista, enumerando 9 maneiras fáceis de criar um delinquente.

A lista é a seguinte:

1. Comece, na infância, a dar ao seu filho tudo o que ele quiser.

Assim, quando crescer, acreditará que o mundo tem obrigação de lhe dar tudo o que deseja.

2. Quando ele disser palavrões, ache graça.

Isso o fará considerar-se interessante.

3. Nunca lhe dê orientação religiosa.

Espere até que ele chegue à maioridade e “decida por si mesmo”.

4. Apanhe tudo o que ele deixar jogado: livros, sapatos, roupas.

Faça tudo para ele, para que aprenda a jogar sobre os outros toda a responsabilidade.

5. Discuta com frequência na presença dele.

Assim não ficará muito chocado quando o lar se desfizer mais tarde.

6. Dê-lhe todo o dinheiro que quiser. Nunca o deixe ganhar seu próprio dinheiro.

Por que terá ele de passar pelas mesmas dificuldades pelas quais você passou?

7. Satisfaça todos os seus desejos de comida, bebida e conforto. (Negar pode acarretar frustrações prejudiciais.)

8. Tome o partido dele contra vizinhos e policiais. (Todos têm má vontade para com o seu filho.)

9. Quando ele se meter em alguma encrenca séria, dê esta desculpa: “Nunca consegui dominá-lo.”

Por último, uma advertência: prepare-se para uma vida de desgosto.

É o seu merecido castigo.

Quando nos queixamos do desgosto por que nos fazem passar os filhos, normalmente esquecemos todos esses detalhes enumerados pela Polícia de Houston.

E enquanto nossos filhos ainda são crianças imaginamos que jamais venham a delinquir.

Em verdade é esse o nosso mais profundo desejo.

No entanto, é bem possível que nos equivoquemos procurando acertar.

Procurando fazer o melhor para esses seres tão queridos aos nossos corações.

Se temos a intenção de fazer de nossos filhos cidadãos responsáveis e dignos, comecemos a prestar mais atenção na forma de educação que lhes damos.

Ensinar-lhes a tolerar frustrações, ensinar-lhes disciplina, responsabilidade, é de bom senso.

Consideremos sempre que nossos filhos são Espíritos reencarnados, e como tal, trazem consigo a bagagem de erros e acertos conquistados ao longo das existências.

Todos renascemos para crescer na escala evolutiva.

Sejamos os impulsionadores daqueles a quem Deus nos confiou a educação.

Dessa forma, de nada teremos que nos arrepender mais tarde, quando tivermos que prestar contas às Leis Divinas.

É na adolescência que o Espírito retoma a bagagem de experiências acumuladas ao longo da sua caminhada evolutiva.

É que na adolescência o corpo e o psiquismo já estão preparados para receber essas informações.

Não é outro o motivo pelo qual muitos pais desconhecem os filhos, que passam a ser outra pessoa, dizem, quando chegam à adolescência.

Até aos 7 anos de idade a criança é mais receptiva aos ensinamentos.

Por isso, devemos nos esmerar para passar uma educação efetiva, de forma que essa possa suplantar as informações equivocadas que porventura traga o nosso filho, de existências anteriores.

Fonte: Redação do Momento Espírita, página “Discípulos de Allan Kardec”, no Facebook.

Compartilhe
  • 3
    Shares

About the author / 

Editor

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

1 × = 4

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Temas das Publicações