• Carma, Doutrina Espírita

    O que é o Karma?

    O Pai Celestial jamais enviaria seus filhos para o suplício eterno, em paga dos erros cometidos durante sua breve passagem pela Terra. Quando usamos mal a liberdade que Ele nos concedeu, temos de arcar com as conseqüências de nossas próprias ações equivocadas.O sofrimento humano não é um sinal da cólera de Deus ou da Natureza contra a humanidade. É, antes, a marca da ignorância da lei divina por parte dos homens. Essa lei nunca falha em sua aplicação. Eis a lei do karma: aquilo que você semear, colherá. Se semear o mal, colherá o mal sob a forma de sofrimento. E se semear o bem, colherá o bem sob a forma de alegria interior.

  • A reencarnação, Doutrina Espírita

    Ideias inatas

    O Espírito encarnado conserva algum traço das percepções que teve e dos conhecimentos que adquiriu nas existências anteriores? A teoria das idéias inatas não é quimérica? Deve então haver uma grande conexão entre duas existências sucessivas? Qual é a origem das faculdades extraordinárias dos indivíduos que, sem estudo prévio, parecem ter a intuição de certos conhecimentos, como as línguas, o cálculo etc.?

  • A reencarnação, Doutrina Espírita

    Reencarnação – Um processo educativo

    O retorno a um novo corpo, através da reencarnação, se dá para o crescimento do espírito. É um processo educativo, e não punitivo. Em muitos casos, os reencarnantes retornam com “cicatrizes na alma” denunciadoras de experiências pregressas traumáticas, sob a forma de fobias, traumas e outros complexos, que se revelam logo na primeira infância, constituindo-se em preocupação para os pais. A solução de tais conflitos só se dará com o contato do espírito novamente com o núcleo traumático gerador.

  • A reencarnação, Doutrina Espírita

    Reencarnação sem acomodação

    Imaginam alguns que o fato de saber que tornaremos a reencarnar pode nos conduzir à acomodação, deixando para a próxima existência a solução de dificuldades do presente. Tal forma de pensar nada tem a ver com o verdadeiro ensino dos espíritos. Dívidas a saldar? Por que não ressarci-las logo? Não é este o nosso proceder perante prestações e contas a pagar? Como nos sentimos aliviados ao concluir o pagamento de um bem adquirido! Como nos satisfazemos com a nota promissória ou duplicata quitada, em mãos! Não é diferente no que diz respeito a débitos do passado. Quanto mais nos adiantarmos na vida presente, menos longas e penosas nos serão as existências futuras. A cada dia construímos o nosso amanhã.

RECEBA TEXTOS POR E-MAIL

Institucional

Todos os Temas