• Aos que Sofrem, Dores da Alma

    Nos momentos graves

    Mantenha a calma. Não delibere apressadamente. Evite lágrimas inoportunas. Se você errou desastradamente, não se precipite no desespero. Tenha paciência. Se a questão é excessivamente complexa, espere mais um dia ou mais uma semana, a fim de solucioná-la. O tempo não passa em vão. Seja comedido nas resoluções e atitudes. Em qualquer apreciação, alusiva a segundas e terceiras pessoas, tenha cuidado. Em outras ocasiões, outras pessoas serão chamadas a fim de se referirem a você. Em hora alguma proclame seus méritos individuais. Lembre-se de que a virtude não é uma voz que fala, e, sim, um poder que irradia.

  • Benevolência, Caridade

    O bem é incansável

    Muitas vezes terá o Mestre sentido o espinho de nossa ingratidão, identificando-nos o recuo aos trabalhos da nossa própria iluminação; todavia, nem mesmo verificando-nos os desvios voluntários e criminosos, jamais se esgotou a paciência do Cristo que nos corrige, amando, e tolera, edificando, abrindo-nos misericordiosos braços para a atividade renovadora. Façamos, portanto, o mesmo com relação a nossos irmãos que ignoram nossos gestos de amor e abnegação.

  • Amadurecimento, Reforma Íntima

    Aceitação

    Aceita a vida que Deus te deu. Aceita-te como és. Aceita teus familiares. Aceita teus conflitos. Aceita tuas decepções. Aceita tua parentela. Aceita tuas dificuldades financeiras. Aceita tuas desilusões. Aceita as ingratidões contra ti. Aceita tudo e todos. Aceita atos e atitudes e faze o melhor que puderes. “Entende o que eu digo; e o Senhor te dará compreensão em todas as coisas.”

  • Reforma Íntima, Renovando atitudes

    O Grande Aliado

    Reforma íntima nada mais é que dar nova direção aos valores que já possuímos e corrigir deficiências cujas raízes ignoramos ou não temos motivação para mudar. Carl Jung, o pai da psicologia analítica, asseverou: “Só aquilo que somos realmente tem o poder de curar-nos.” Imperfeições são nosso patrimônio. Serão transformadas, jamais exterminadas. Interiorização é conquistar nossa “sombra”, esse adversário interior que deve se tornar nosso grande aliado, sendo amavelmente “doutrinado” para servir ao luminoso ideal do homem lúcido e integral para o qual, inevitavelmente, todos caminhamos.

  • Reforma Íntima, Renovando atitudes

    A crítica

    O crítico, por vigiar e espreitar sem interrupção os problemas alheios, permanece inconsciente e imobilizado em relação à própria aprendizagem evolucional; portanto, sua possibilidade de integralizar novos conceitos e experiências é quase nula. Quanto mais ele projeta a culpa e a acusação ao mundo exterior, recusando cumprir sua aprendizagem conscientemente, mais sofrerá com os reflexos de suas atitudes. O indivíduo nessas condições vê os outros com os olhos da “própria maldade”. Porém, a crítica pode ser construtiva e útil. Cada um de nós pode, livremente, optar entre o papel de ironizar e o de realizar.

  • Doutrina Espírita, Instrução dos Espíritos

    A semeadura é livre, mas a colheita é obrigatória

    O bem ou o mal, tendo sido semeados, crescerão junto de nós, de conformidade com as leis que regem a vida. O bem semeia a vida, o mal semeia a morte. O primeiro é o movimento evolutivo na escala ascensional para a Divindade, o segundo é a estagnação. Muitos Espíritos, de corpo em corpo, permanecem na Terra com as mesmas recapitulações durante milênios. Somente o bem pode conferir o galardão da liberdade suprema, representando a chave única suscetível de abrir as portas sagradas do Infinito à alma ansiosa.

  • Ciência e Religião, Corpo e Alma

    Cuidemos do nosso corpo que é a extensão de nossa alma

    Nosso corpo físico não é apenas um veículo usável, mas também a parte mais densa da alma. Não o separemos de nós mesmos, porque, apesar de sua matéria ficar na Terra no processo da morte física, é nele que avaliamos as sensações do abraço de mãe, do ósculo afetivo e das mãos carinhosas dos amigos. Através dele é que podemos identificar angústias e aflições, que são bússolas a nos indicar que, ou quando, devemos mudar nossa maneira de agir e pensar, para que possamos percorrer caminhos mais adequados do que os que vivemos no momento.

  • Deus, Fé e Religiosidade

    O herdeiro do Pai

    Todos devemos saber que os homens falíveis não podem erguer obras infalíveis e que compete aos partidários do Mestre a posição de trabalhadores sinceros, chamados a servir e cooperar na obra paciente e longa, mas definitiva e eterna, daquele a quem o Pai “constituiu herdeiro de tudo, por quem fez também o mundo”. Não convém concentrar em organizações mutáveis do plano carnal todas as nossas esperanças e aspirações. Mas, então, por que nos apaixonamos, com tanta veemência, por criaturas falíveis e satisfações transitórias?

Temas das Publicações